sábado, 4 de julho de 2015

Amo amar você




Amo amar você

Amo com a ternura de uma mãe
Que envolve teu filho num colo de proteção
Amo com a robustez de um pai
Que abraça um filho em forma de sermão

Amo com a beleza das flores e das rosas
Formando em sua volta um jardim de amor
Amo como um vulcão em trevas e revoltas
Mas, eu apenas amo, seja você quem for

Amo como Deus ama sua criação
No exagerado zelo de amor e de candura
Mesmo que esteja perdido em um mundo
Tão longe de amar e tão pouco ser amado.

Amo, enfim, como uma criança pura
Inocente, se entrega ao prazer acalorado
Amando tanto que, até a solidão
É uma forma de amor em diminuto.

Victor Hugo Neves de Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário