sábado, 31 de agosto de 2013

Um pobre e velho homem


Um pobre e velho homem

Sou um pobre e velho homem
Que se esqueceu de viver
Não passo de um morto de fome
E nada tenho de beber

Um lixo humano que rasteja
Como um verme na carniça
Devorando os restos de tristeza
E o que sobrou dessa agonia.

Um homem sem definição
Sem identidade ou paradeiro
Um verso sem rima e sem remo
Barco a vagar no lamaçal da vida.

Um condenado ao desespero
Eterno desse viver de hipocrisia
Um homem que só carrega no coração
Sonhos de um imundo inteiro!...

© Victor H.